keyboard_backspace

Página Inicial

Sem categoria

Albatroz-de-nariz-amarelo volta para a natureza após reabilitação

O albatroz foi resgatado pela equipe do PMP-BS junto à Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI) na praia de Bombinhas, em Bombinhas

Um albatroz-de-nariz-amarelo (Thalassarche chlororynchos) voltou ao habitat natural na  após passar um período de reabilitação sob os cuidados da Associação R3 Animal, através do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS). A soltura aconteceu em alto mar, próximo à praia da Barra da Lagoa.

O albatroz foi resgatado pela equipe do PMP-BS junto à Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI) na praia de Bombinhas, em Bombinhas, no dia 27 de outubro. A ave estava se debatendo nas ondas e não conseguia levantar voo.

O animal foi levado para a Unidade de Estabilização do PMP-BS, em Penha. Ele estava muito apático quando chegou. Havia muitos carrapatos ao redor do olho, piolhos espalhados pelo corpo e inflamação nos membros. No dia 6 de novembro, ele transferido para a R3 Animal, no Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM), em Florianópolis.

Segundo a médica-veterinária, Marzia Antonelli, o albatroz recebeu medicação, passou por exames de sangue e fezes e iniciou o processo de reabilitação, que incluiu fisioterapia e impermeabilização das penas.

O albatroz-de-nariz-amarelo é uma das espécies de albatrozes que ocorrem na costa brasileira, e está ameaçado de extinção. Os albatrozes são aves oceânicas migratórias, monogâmicas e colocam apenas um ovo por temporada de reprodução, que, dependendo da espécie, pode ocorrer entre uma ou duas vezes ao ano.

Alimentam-se de lulas, sardinhas e krills (animais invertebrados da família dos camarões). São excelentes planadoras, a envergadura pode atingir cerca de dois metros e podem voar até 800 quilômetros em um único dia, e atingir quase 130 km/h.

O CePRAM fica localizado dentro do Parque Estadual do Rio Vermelho, unidade de conservação sob responsabilidade do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA-SC) em parceria com a Polícia Militar Ambiental.

Caso encontre um mamífero, tartaruga ou ave marinha morta ou debilitada, ligue 0800 642 3341.

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.

Mais notícias