keyboard_backspace

Página Inicial

Sem categoria

Câmara aprova projeto “Itapema Legal”

Programa proposto pela Prefeitura traz novos critérios para aprovação de projetos urbanísticos, afim de tornar mais ágeis as liberações para edificações

O Projeto de Lei Complementar nº 13/2017, que chegou na Câmara de Itapema semana passada, foi aprovado na Sessão Ordinária desta terça, dia 28/11, depois de ser amplamente discutido nas Comissões Legislativas e de uma reunião dos vereadores com representantes do Sinduscon (Sindicato das Indústrias da Construção Civil de Itapema).

A Lei Complementar apresentada pela Prefeitura altera o Artigo 17 da Lei Complementar 08/2002, que estabelece o Código de Posturas de Itapema. Ela também vem instituir o programa “Itapema Legal”, que tem como objetivo implantar novos procedimentos e critérios para agilizar o sistema de encaminhamento e “aprovação de projetos, reformas, ampliações, demolições e vistorias finais de edificações” pelo Executivo. Segundo a prefeita Nilza Simas, o PL 13/2017 segue a tendência do Estatuto da Cidades, de desburocratizar os atos públicos.

A partir do programa “Itapema Legal”, a fiscalização da Prefeitura vai se ater aos requisitos urbanísticos das edificações – limites de recuo, embasamento e altura das construções – desobrigando os técnicos da fiscalização interna destas obras. No entendimento do poder público, o cumprimento das normas legais para projeto e execução de edificações, deve ser atendido pelo Engenheiro responsável por tal, já que entende-se que esta não é uma responsabilidade dos analistas da Prefeitura e, sim, deste profissional. 

 

1ª e 2ª votação

Na Sessão Ordinária do dia 21/11, a Câmara aprovou por maioria o PL 13/2017 em primeira votação, com dois votos contrários dos vereadores Tanaka (PDT) e Yagan Dadam (PR). Já na segunda votação da matéria que aconteceu neste dia 29/11, a matéria foi aprovada por unanimidade – mas com alterações importantes propostas pelos vereadores.

 

Projeto substitutivo

A redação original do PL Itapema Legal previa que o Executivo Municipal faria a “regulamentação específica acerca de documentos necessários contendo as normas para apresentação de projetos”, em outro momento. Durante a tramitação do projeto na Câmara, os vereadores debateram e entenderam que essa regulamentação já deve estar prevista na própria Lei Complementar 13/2017. O objetivo é dar mais consistência às exigências e segurança para quem vai construir, evitando novas mudanças na regulamentação sem aprovação da Câmara, e a cada troca de cargos diretivos ou Governo.

Atendendo à solicitação do Poder Legislativo, a Prefeitura então refez a redação da matéria, e apresentou para aprovação esta semana o “Projeto Substitutivo 1 ao PL Complementar nº 13/2017”. Com isso, o PL Complementar 13/2017 aprovado pela Câmara já contém a regulamentação com os critérios e regras da Lei “Itapema Legal”.

 

Emenda supressiva

O Projeto Substitutivo ainda recebeu uma emenda supressiva da Câmara. Todos os vereadores assinaram a Emenda Supressiva nº 1 – ao PL Complementar 13/2017, extinguindo o Artigo 17k. Ele previa como competência da “Secretaria Municipal de Planejamento Urbano, a atualização e criação de outros modelos de Projeto Legal, a serem adotados para aprovação de projetos e licenciamento de obras, mediante a expedição de Decreto, pelo Chefe do Poder Executivo Municipal”. Os vereadores não concordaram com a determinação prevista nesse artigo, e através da aprovação da Emenda garantiram que qualquer mudança no “Itapema Legal”, deva ser feita por Lei, e não por ato direto do Poder Executivo.

Mais notícias

Segurança

Jovem que morreu após acidente entre moto e carro em Itapema é identificado

Vítima tem 25 anos e morreu após bater a moto na traseira de veículo em Itapema

Cidades

Governadora e setor empresarial se unem por avanços para SC no Plano Nacional de Logística 2035

Governadora ressaltou que pretende se reunir novamente com o ministro da Infraestrutura neste mês