keyboard_backspace

Página Inicial

Segurança

Crime chocante no RS: Policiais prestaram depoimento chorando

Criança foi estuprada por um vizinho e jogada no rio

X

O delegado Dinarte Maschall Júnior, titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e responsável pela investigação do caso da menina de cinco anos que foi estuprada pelo vizinho e jogada no rio em Lajeado (RS), contou durante entrevista que os policiais militares que atenderam a ocorrência prestaram depoimento chorando.

A menina, convidada pelo vizinho para ir até o supermercado, com autorização da mãe, foi violentada pelo homem e jogada no Rio Taquari. A criança foi retirada da água inconsciente e levada pelos bombeiros ao hospital, mas não resistiu. O crime bárbaro chocou a cidade. O homem já está preso.

“O plantão que se encerra foi um dos mais difíceis da minha carreira. Nunca havia tomado o depoimento de um Policial Militar chorando. Estava difícil para todos que estavam na Delegacia de conter a emoção. Somos humanos. Nossa profissão não é pra qualquer um. Temos o dever de enfrentar o que outros não conseguiriam. Em contato com a médica que atendeu a menina, ela relatou que havia um batalhão na emergência lutando pra reanimar a criança. E por isso, é com justiça que enalteço o profissionalismo e agradeço o bom trabalho de todos que se envolveram nesta ocorrência”, contou.

O crime

“Um dos crimes mais bárbaros que se viu em Lajeado nos últimos tempos”. É assim que o delegado Dinarte Maschall Júnior, titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e plantonista da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), definiu o crime envolvendo uma criança durante o sábado (4). Uma menina de cinco anos foi violentada e jogada no rio pelo vizinho da mãe da menina. A criança chegou a ser resgatada, mas não resistiu.

O crime bárbaro foi registrado durante a tarde de sábado (4), em Lajeado (RS). A menina foi encontrada às margens do Rio Taquari, uma menina 5 anos, e estava inconsciente. Ela foi resgatada às 14h30 pelos bombeiros, que levaram ela para o Hospital Bruno Born, onde ela não resistiu e morreu.  

A criança estava desaparecida. As equipes da Brigada Militar realizavam buscas pela garota quando encontraram a menina no local em parada cardiorrespiratória. O corpo da criança foi encaminhado para autópsia no Departamento Medico-Legal (DML) de Porto Alegre. Os exames devem apontar a causa da morte.

Conforme apurado pelo delegado, sujeito foi até a casa da família e convidou a criança a acompanha-lo até o supermercado, o que foi autorizado pela mãe. Passado algum tempo, diante da demora para o retorno, a mãe reuniu outros conhecidos e passou a fazer buscas à menina e ao suspeito.

Ao encontrar uma guarnição da Brigada Militar (BM), a mulher relatou o ocorrido, dando início nas buscas policiais. A mãe também procurou a Delegacia de Polícia para registrar o desaparecimento de sua filha. Em seguida, policiais civis e bombeiros também se uniram à BM para procurar pela desaparecida e o suspeito.

Em dado momento, uma guarnição da Brigada localizou o sujeito vindo da direção da barranca do Rio Taquari para o centro da cidade. As suas roupas estavam molhadas e sujas de barro, assim como foram verificados sinais de luta corporal e arranhões pelo corpo. Ele foi detido e relatou não saber de nada a respeito do sumiço da criança.

Marschall Júnior informa que os policiais seguiram nas buscas, quando foram avisados por um popular que teria visto o indivíduo carregando a criança na garupa, seguindo em direção à barranca do rio, atrás de um supermercado, pela Rua Osvaldo Aranha. O policiamento então concentrou as buscas naquelas imediações, tendo localizado o corpo da menina, totalmente nu, boiando nas águas do Taquari, inconsciente.

A vítima, já em parada cardiorrespiratória, foi imediatamente encaminhada para atendimento no Hospital Bruno Born. Contudo, ela não resistiu e morreu às 17h38. O delegado acrescenta que o relatório do prontuário médico aponta indícios de violência sexual.

O sujeito preso foi então autuado em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável, qualificado pela morte da vítima. As vestes foram recolhidas para a perícia, assim como foi solicitada a necropsia e perícia no corpo da criança para que se possa coletar vestígios comprovando a violência sexual. Posteriormente, o indivíduo foi recolhido ao Presídio Estadual de Lajeado, onde fica à disposição da justiça.

Segurança

Jovem grávida esmagada por contêiner em Brusque; Caminhoneiro foi condenado pela Justiça

Motorista de caminhão foi condenado por homicídio culposo, quando não há intensão de matar

Segurança

Esposa e amante são condenados por matarem homem com golpes de faca, foice, pedra e martelo em SC

Após mais de 12 horas de julgamento, os jurados, que formam o Conselho de Sentença, condenaram os réus por homicídio

Segurança

Filho encontra pote com pênis decepado no jardim na casa da mãe

Rapaz, que é jardineiro, cuidava do jardim da residência quando achou o objeto no chão

Segurança

Idoso morre aos 74 anos em acidente com trator

Um homem idoso de 74 anos morreu em um acidente com trator na cidade de Petrolândia nesta quinta-feira (16). O homem trabalhava com o trator quando o veículo tombou. Rainvaldo Krause, de 74 anos, sofreu […]

Mais notícias

economia

Gasolina mais barata do Brasil: Procon faz posto vender combustível a preço de custo em SC

Procon vai penalizar outros postos e obrigar estabelecimentos a vender gasolina por 24 horas a preço de custo

Geral

Defesa Civil emite alerta de temporais e descargas elétricas neste sábado em Santa Catarina

A tempestade surge da combinação de umidade e temperaturas elevadas