keyboard_backspace

Página Inicial

Esportes

Depois de três títulos no Brasileiro Open, Vítor Felipe e Renato chegam à final da etapa brasileira do Circuito Mundial

Campeões de três das quatro etapas do Circuito Brasileiro 2021, Vítor Felipe e Renato receberam da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) um convite para disputar a chave principal da etapa brasileira do Circuito Mundial, disputada […]

X
Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Campeões de três das quatro etapas do Circuito Brasileiro 2021, Vítor Felipe e Renato receberam da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) um convite para disputar a chave principal da etapa brasileira do Circuito Mundial, disputada em Itapema (SC). E aproveitaram muito bem. Com uma campanha impecável, de vitórias em todos os cinco jogos, eles garantiram uma vaga para a final da competição, neste domingo (14.11), contra a parceria formada pelos também brasileiros George e André Stein. Para Renato, a competição ainda serve como preparação para o último desafio do ano: representar o Brasil nos Jogos Pan-Americanos Júnior de Cali, na Colômbia, ao lado do irmão Rafael.

Os jogos finais e as disputas pelo bronze serão transmitidas ao vivo pelo SporTV 2 e pelo canal do Beach Volleyball World no YouTube a partir das 8h.

Na semifinal, Vitor Felipe e Renato superaram os italianos Lupo e Ranghieri por 2 sets a 0 (21/19 e 21/19). A torcida que lotou a arquibancada da arena montada na Meia Praia foi à loucura com a garra e o talento da dupla brasileira, principalmente com a jogada que começou com Vítor Felipe salvando uma bola impossível com o pé no fundo da quadra e terminou com um bloqueio de Renato.

RENATO: “Este convite da CBV foi uma grande oportunidade. Agradeço também ao Vítor por todo apoio e paciência que teve comigo. Ele já estava acostumado a rodar o Circuito Mundial e não se desesperou em momento algum da competição. Sabemos que o Circuito Mundial tem jogos difíceis do qualifying à decisão. Em dois outros torneios fomos eliminados antes de chegarmos à fase de grupos, e agora estamos em uma final, nem dá para acreditar. É fruto do nosso trabalho e temos que curtir este momento. Estamos com um ritmo de jogo muito bom. Viemos de vários torneios de alto nível seguidos, sempre entre as quatro melhores duplas. A experiência adquirida aqui será muito importante no Pan-Americano sub-23, que é uma competição espetacular. Quero dar o meu melhor e aproveitar ao máximo” 

VITOR FELIPE: “Jogar ao lado do Renato está sendo um presente na minha vida. Ele é um menino novo, mas que se dedica muito, nos jogos e nos treinos. Não tenho nem palavras. Agradeço o convite que recebemos, e entendo que merecemos pelo que estamos fazendo este ano. A etapa está sendo maravilhosa, a estrutura é incrível, não deixa nada a desejar àquelas realizadas fora do Brasil”

Na outra semifinal André e George superaram os austríacos Alex Huber e Cris Dressler por 2 sets a 0 (21/12 e 21/18). Para a dupla, a decisão terá clima de rivalidade caseira, já que eles treinam juntos com Renato e Vitor no CT Cangaço em João Pessoa. O momento também é especial para André, que já tem dois títulos conquistados em Itapema: etapa nacional em 2017 e uma do Circuito Mundial em 2018.

ANDRÉ: “Na primeira etapa realizada aqui, em 2017, eu ganhei no brasileiro contra o George, depois venci em 2018 no mundial, ambas com o Evandro. Agora de volta em uma final aqui, com o apoio da torcida é muito especial”

GEORGE: “Será um jogo que a gente queria fazer há muito tempo. Nós treinamos todos juntos em João Pessoa, então já nos conhecemos bem, somos todos amigos. Nós sabemos o quanto cada um se dedica, torcemos muito um pelo outro. O pessoal do CT Cangaço está de parabéns. O clima será incrível, ainda mais com este ambiente de competição, com público presente”

No torneio de despedida, Ágatha e Duda disputam o título em final brasileira

Depois de cinco anos juntas, Ágatha e Duda disputam sua última competição como parceria. Já com o título do Circuito Mundial 2021 garantido, elas querem fechar o ciclo com uma medalha de ouro na etapa que encerra a competição deste ano. E o cenário não poderia ser melhor: no Brasil e com o público lotando a arquibancada da arena montada em Itapema (SC). Mas para isso, terão que superar outra dupla brasileira, que com muita raça saiu do qualifying para chegar à grande final: Taiana Lima/Hegê.

Ágatha e Duda se classificaram com vitória sobre Cannon/Hughes, dos Estados Unidos, por 2 sets a 0 (21/19 e 21/18). Já Taiana e Hegê, que passaram por Tainá/Vic, também do Brasil, por 2 sets a 0 (21/17 e 21/19). Hegê joga pela primeira vez uma etapa do Circuito Mundial na carreira.

AGATHA: “Conseguimos pôr em quadra tudo que estudamos. Sabíamos que este time dos Estados Unidos era perigoso, que tem uma virada de bola muito forte. A Cannon é uma atleta que ainda está começando no Circuito Mundial, então não tínhamos muitas informações sobre ela, optamos por jogar na Hughes e deu muito certo. Foi muito bom jogar com o calor da torcida, a arena lotada. Em uma estrutura deste tamanho, com o carinho do público é incrível. As pessoas falavam comigo e diziam que vieram de longe, de outros estados para acompanhar a competição. Isso não tem preço” 

HEGE: “Depois que passamos do qualifyng, comentei com a Taiana como é boa a sensação de jogar um evento do Circuito Mundial. Ainda mais com a volta do público, tudo ficou melhor. Senti o carinho da torcida e isso foi fundamental desde o primeiro jogo. Na estreia da chave principal, senti aquele nervoso natural, mas depois fomos entrando no jogo. Tivemos tiebreak em cinco dos seis jogos que disputamos. O melhor de tudo é que, mesmo com todas as dificuldades, não desistimos em momento algum, jogamos sempre muito juntas. Eu aprendo muito com a Taiana, estamos juntas desde março. E agradeço ao trabalho fora de quadra que faz toda diferença no nosso resultado. Jogar em uma arena destas, com essa estrutura é indescritível. Tudo é muito novo para mim. Eu estava acostumada a jogar etapas do Circuito Brasileiro, onde conhecemos todas as atletas, e aqui, nós jogamos contra times desconhecidos, o que é bem mais complicado, mas nos adaptamos e conseguimos avançar”  

A etapa brasileira do Circuito Mundial é uma parceria entre a CBV e a Prefeitura de Itapema, e acontece na altura da rua 307, em Meia Praia. A presença de público na arquibancada é limitada por decreto municipal a 70% da capacidade. O acesso é gratuito, mas os torcedores precisam apresentar carteira de vacinação comprovando esquema vacinal completo ou laudo negativo de exame PCR de até 72 horas ou de teste antígeno de até 48 horas antes do evento.  

GALERIA DE FOTOS

RESULTADOS DOS JOGOS 

CONFRONTOS

BRONZE

8h – Tainá/Vic (SE/MS) x Cannon/Hughes (EUA)

9h15 – Lupo/Ranghieri (ITA) x Huber, A./Dressler (AUT)

FINAL

10h30 – Ágatha/Duda (PR/SE) x Taiana/Hegê (CE)

11h45 – Vitor Felipe/Renato Andrew (PB) x André/George (ES/PB)

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Fonte: Clicsc

Esportes

Flamengo e Palmeiras buscam a glória eterna da Libertadores

Rádio Nacional transmite a partida ao vivo neste sábado (27)

Esportes

Em São José, governador Carlos Moisés abre a 60ª edição dos Jasc e destaca investimentos históricos no esporte

Para a edição 2021 dos Jasc, 7,5 mil atletas, de 176 municípios, participaram das competições

Esportes

Chapecoense suspende venda de ingressos com receio da torcida do Grêmio no estádio

Torcedores que já adquiriram ingressos serão devidamente reembolsados e devem solicitar o ressarcimento do valor no e-mail ingressos@chapecoense.com até o dia 26 de novembro

Esportes

Primeiro dia do torneio principal classifica 10 duplas brasileiras para as oitavas

Brasil conta com 14 duplas na competição – oito femininas e seis masculinas – e garantiu ao menos 10 nas oitavas de final

Mais notícias

Geral

Unimed Litoral é homenageada com o Prêmio Cambori

A Unimed Litoral recebeu na última sexta-feira, 26, o Prêmio Cambori, em evento promovido pela Associação Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú (Acibalc), para destacar a trajetória e reconhecer publicamente empreendedores e empresas que fazem […]