keyboard_backspace

Página Inicial

Política

Deputada Paulinha critica política de falta de parcelamento da Celesc

A deputada Paulinha criticou, com veemência, a atual politica da companhia que vetou o parcelamento do pagamento dos investimentos que a empresa faz para atender as demandas específicas dos empreendedores

X
Reprodução

A energia elétrica pesa no bolso do cidadão catarinense. É fato. Entre as contas que estão mais caras em função da pandemia, inflação alta e do dólar está a de energia.

Já em contrapartida, a Celesc, distribuidora de energia de Santa Catarina, encerrou 2020 com lucro líquido de R$ 518,7 milhões, crescendo 82,9% em relação ao ano anterior, quando movimentou R$ 283,6 milhões.

A deputada Paulinha criticou, com veemência, a atual politica da companhia que vetou o parcelamento do pagamento dos investimentos que a empresa faz para atender as demandas específicas dos empreendedores.

Ela citou o caso de um empresário catarinense, que solicitou o serviço para a Celesc e como resposta recebeu uma fatura de R$ 21 mil sem direito a parcelamento. “ O empresário precisa abrir as portas e precisa de reforço energético, não bastasse o contribuinte ter de pagar R$ 21 mil, ele não tem mais o direito de parcelar”, afirmou Paulinha.

Entre suas ações foi protocolar na quarta, dia 28, uma indicação em que solicita ao diretor presidente das Centrais Elétricas de Santa Catarina – CELESC, a revisão da resolução da Diretoria de Distribuição n° 059/2020, para que possibilite novamente o parcelamento do pagamento da participação financeira do consumidor em obras executadas pela CELESC Distribuição S.A.

E vai além ao se manifestar em plenário a respeito desse tema. Paulinha destaca que a CELESC leva energia para aproximadamente três milhões de unidades consumidoras em 286 (duzentos e oitenta e seis) municípios catarinenses (92% do território do estado) e em Rio Negro, no Paraná, sendo assim uma Empresa de suma importância no cotidiano de cada cidadão.

“ Sob o argumento da necessidade de proteção do caixa da Empresa durante a pandemia, em 2020 a Diretoria de Distribuição da CELESC, editou a RESOLUÇÃO DDI N° 059/2020, esta que alterou o item 5.3.1.1 da Instrução 322.0010 – Participação Financeira para: O pagamento da participação financeira do consumidor em obras executadas pela Celesc Distribuição S.A. deverá ser pago em parcela única, desta forma vedando o parcelamento destes pagamentos”.

Paulinha enfatizou que vários empresários catarinenses, mesmo em tempos pandêmicos, tentam ampliar seus negócios, gerando emprego e renda . “ Mas seus pedidos de parcelamentos seguem indeferidos, com fundamento na resolução da Diretoria da CELESC”.

Novamente a parlamentar destaca que a CELESC bate recorde de arrecadação, discute distribuição de lucro significativa para diretoria, mas mantém resolução que prejudica sobremaneira a retomada econômica da classe empresarial.

“ Por isto, solicito que a CELESC revise a presente Resolução, a fim de evitar ainda mais prejuízos financeiros aos empreendedores catarinenses”.

Fonte: Clicsc

Política

A corrida de brasileiros para os EUA em busca da vacina

Leia na Coluna Esplanada de hoje direto de Brasília

Política

Prefeito assina ordem de serviço para pavimentação do Morro de Zimbros em Bombinhas

O prefeito agradeceu à Deputada Paulinha pela emenda na ordem de R$10 milhões, destinados aos municípios de Bombinhas e Porto Belo

Política

Cinco ex-ministros bolivianos pedem refúgio político no Brasil

Leia na Coluna Esplanada de hoje direto de Brasília

Política

Moisés exonera 82 nomes do governo Daniela

Mudanças importantes no Governo do Estado de Santa Catarina

Mais notícias

Segurança

Familiares acusam dono de creche de Itapema de abusar sexualmente de crianças e fazem manifestação por justiça

Os relatos, todos muito semelhantes, foram reunidos e colados na parede da creche onde os pequenos eram levados e que, depois da primeira denúncia, fechou as portas imediatamente sem levantar suspeitas do que poderia ser.

Geral

Prefeito de São Paulo Bruno Covas morre vítima de câncer

Covas já estava licenciado do cargo desde o início de maio, quando houve piora do quadro. Nunes assumiu como prefeito em exercício em 3 de maio.