keyboard_backspace

Página Inicial

coronavirus

Hospitais têm dificuldade de encontrar mão de obra qualificada para atender UTI

Especialista da Luandre, uma das maiores consultorias de RH do país, diz que profissionais de saúde com experiência estão escassos

X

A falta de leitos pela alta demanda de pacientes infectados com o vírus da Covid-19 não é o único dentre os problemas preocupantes neste momento de pandemia.

Hospitais e instituições de saúde espalhadas por todo o Brasil também lidam com um novo obstáculo: a busca por profissionais de saúde qualificados para atuar nas UTIs.

Durante o atual período de fase vermelha – que acometeu diversas regiões do Brasil – a equipe da Luandre, uma das maiores consultorias de RH do país, especialista no setor de saúde, teve um aumento de 145,7% em vagas de saúde em relação ao mesmo período de 2020.

Embora a área siga contratando profissionais, o foco atual está na busca de mão de obra qualificada para atuar em UTIs, resultando em uma demanda superior de vagas em relação aos profissionais aptos para atuar.

“Para amenizar essa questão, houve uma diminuição da rigidez nos processos de seleção. As provas técnicas, em que antes o crivo era 8, por exemplo, têm um crivo de nota 6 hoje, justamente porque faltam profissionais de saúde”, afirma Gabriela Mative, Superintendente de RH da Luandre.

Segundo um levantamento do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), realizado em maio de 2020, o déficit de enfermeiros e técnicos de enfermagem especializados em UTI, durante o período inicial da pandemia, já estava em torno de 17 mil em todo o país.

Para alguns hospitais, a alternativa encontrada, durante a pandemia, foi a de efetivar os temporários e submetê-los a um treinamento para qualificação – “o investimento na efetivação faz com que esses profissionais passem por um programa de integração intensiva da equipe e se tornem aptos a exercer um trabalho na UTI de forma mais preparada para lidar com os desafios do dia a dia”, afirma Gabriela.

Jornada dupla e cansaço extremo

A falta de profissionais de saúde afeta também a rotina dos já empregados. Segundo Gabriela, a carência de mão de obra faz com que os colaboradores aumentem sua jornada de trabalho, chegando a dobrar turnos.

“Por eventualmente já terem outro emprego, alguns deles passaram a trabalhar em duplas jornadas. Isso explica o nível de cansaço e stress aos quais são acometidos”, conclui.

Fonte: Clicsc

coronavirus

Justiça considera morte por Covid-19 acidente de trabalho

Família de motorista de Minas Gerais receberá indenização por danos morais e materiais

coronavirus

Proposta de Plano de Vacinação para profissionais da educação de Santa Catarina é apresentada

A apresentação foi realizada pela Secretaria de Estado da Educação e integrantes do Comitê Estratégico de retomada das aulas presenciais, um grupo intersetorial formado por 14 entidades

coronavirus

Mãe de Henry é internada com covid na prisão

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro informou que Monique foi encaminhada ao Hospital Penal Hamilton Agostinho

coronavirus

Estudo aponta eficácia de 97,6% de vacina russa Sputnik V

Os novos dados correspondem a 3,8 milhões de russos que receberam tanto a primeira dose quanto uma dose de reforço, como parte do programa nacional de vacinação com a Sputnik V.

coronavirus

Itajaí tem alta taxa de adesão à segunda dose da vacina contra Covid-19

Até a manhã desta segunda-feira (19), apenas 411 pessoas, que estão no prazo, ainda não haviam feito a segunda dose da vacina – o dado representa 4,05% de faltantes.

Mais notícias

Segurança

Carro cai e represa e mãe e filha morrem afogadas em São Bento do Sul

Mãe e filha morreram afogadas depois de uma saída de pista registrada na BR-280, em São Bento do Sul, no Norte de Santa Catarina. O carro em que elas estavam caiu em um lago de […]

Segurança

Mulher mata marido com cinco tiros, alega legítima defesa e é solta pela Justiça

A Justiça de Itajaí mandou soltar a mulher que matou o marido com cinco tiros na madrugada desta terça-feira (20/4). Segundo a defesa dela, ela não aguentava mais apanhar, ser ameaçada de morte e ser […]