keyboard_backspace

Página Inicial

Política

Lewandowski nega pedido para retirar Renan da relatoria da CPI

Pedido em mandado de segurança foi feito por três senadores

X
Nesol Jr./SCO/STF

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou hoje (29) o pedido de senadores governistas para tirar o senador Renan Calheiros (MDB-AL) do cargo de relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia.

Ontem (28), os senadores Marcos Rogério (DEM-RO), Jorginho Mello (PL-SC) e Eduardo Girão (Podemos-CE) protocolaram um mandado de segurança no Supremo para afastar o relator. Para os parlamentares, congressistas com parentesco em primeiro grau com possíveis alvos da investigação devem ser considerados impedidos. Renan Calheiros é pai do governador de Alagoas, um possível investigado.

Na decisão, Lewandowski entendeu que não cabe interferência do Judiciário na questão. “Tudo indica cingir-se o ato impugnado nesta ação mandamental a um conflito de interpretação de normas regimentais do Congresso Nacional, o qual, por constituir matéria de cunho interna corporis, escapa à apreciação do Judiciário”, decidiu o ministro.

Fonte: Agência Brasil

Política

A corrida de brasileiros para os EUA em busca da vacina

Leia na Coluna Esplanada de hoje direto de Brasília

Política

Prefeito assina ordem de serviço para pavimentação do Morro de Zimbros em Bombinhas

O prefeito agradeceu à Deputada Paulinha pela emenda na ordem de R$10 milhões, destinados aos municípios de Bombinhas e Porto Belo

Política

Cinco ex-ministros bolivianos pedem refúgio político no Brasil

Leia na Coluna Esplanada de hoje direto de Brasília

Política

Moisés exonera 82 nomes do governo Daniela

Mudanças importantes no Governo do Estado de Santa Catarina

Mais notícias

Segurança

Grupo de Operações e Resgate encerra evento com Farra do Boi em Itapema

Cerca de 50 pessoas estavam no evento. Todas conseguiram fugir com a chegada dos oficiais.

Segurança

Familiares acusam dono de creche de Itapema de abusar sexualmente de crianças e fazem manifestação por justiça

Os relatos, todos muito semelhantes, foram reunidos e colados na parede da creche onde os pequenos eram levados e que, depois da primeira denúncia, fechou as portas imediatamente sem levantar suspeitas do que poderia ser.