keyboard_backspace

Página Inicial

economia

Mercado diminui projeção para crescimento da economia em 2021

Expectativa para o PIB caiu de 3,43% para 3,29%

X

A previsão do mercado financeiro para o crescimento da economia brasileira este ano caiu de 3,43% para 3,29%. A estimativa está no boletim Focus de hoje (22), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos.

Para o próximo ano, a expectativa para Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – é de crescimento de 2,50%, a mesma previsão há 148 semanas consecutivas. Em 2023 e 2024, o mercado financeiro também continua projetando expansão do PIB em 2,50%.

No caso da taxa básica de juros, a Selic, as instituições financeiras consultadas pelo BC aumentaram a projeção para este ano de 3,75% para 4% ao ano. Atualmente, a Selic está estabelecida em 2% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Para o fim de 2022, a estimativa do mercado é que a taxa básica fique em 5% ao ano. E para o fim de 2023 e 2024, a previsão é 6% ao ano.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Entretanto, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Inflação

A Selic é o principal instrumento utilizado pelo BC para alcançar a meta de inflação. Para 2021, a expectativa do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) subiu de 3,62% para 3,82%.

Para 2022, a estimativa de inflação é de 3,49%. Tanto para 2023 como para 2024 as previsões são de 3,25%.

O cálculo para 2021 está abaixo da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,25% e o superior, 5,25%.

No caso do dólar, a expectativa é que cotação ao fim deste ano seja de R$ 5,05. Para o fim de 2022, a previsão é que a moeda americana fique em R$ 5.

economia

Vendas de veículos têm queda de 14,6% em fevereiro

No segmento de carros de passeio, a retração ficou em 10,6%, com a produção de 155 mil automóveis.

economia

Senai tem vagas abertas para capacitação gratuita em segurança digital

Os melhores talentos terão acesso a um programa de estágio ou emprego, posições que serão oferecidas por parceiros e clientes Cisco.

economia

Indústria brasileira cresce 0,4% de dezembro para janeiro

O setor ainda está em um patamar 12,9% abaixo do nível recorde alcançado em maio de 2011

economia

Arrecadação catarinense cresce 5,7% em fevereiro

Os segmentos que tiveram maior crescimento em fevereiro de 2021 em relação ao mesmo mês em 2020 foram o de materiais de construção

economia

Poupança tem maior retirada líquida em fevereiro em cinco anos

A retirada líquida é a maior registrada para meses de fevereiro desde 2016

Mais notícias

coronavirus

São Joaquim decreta lockdown de uma semana

Objetivo é retirar a circulação de público e evitar a propagação do vírus

Segurança

“Rebite, cocaína e remédio tarja preta”: Caminhoneiro que bateu em moto disse que estava em um sonho

O homem foi preso em flagrante e está detido na Central de Polícia aguardando a análise do judiciário