keyboard_backspace

Página Inicial

Coluna Pelo Estado

Movimentação para garantir avanço nas obras do Contorno da Grande Florianópolis

Leia na Coluna Pelo Estado de hoje

X
Divulgação
Siga-nos no google-news

O empresário Luiz Carlos Goedert, o Luizinho da Regional, manifestou espanto na convenção do PP, onde foi homologado candidato a deputado estadual, que a obra do Contorno Viário da Grande Florianópolis esteja 10 anos atrasada e nenhuma multa tenha sido aplicada à Arteris Litoral Sul, concessionária responsável pelo trecho.
Isso foi no sábado.

Na segunda, o senador Esperidião Amin, como faz todos os meses, participou de inspeção às obras que, dessa vez contou com a presença do diretor-geral da ANTT, Rafael Vitale Rodrigues.

Na quinta, o senador anunciou que vai encaminhar informações sobre a “interminável novela” à Procuradoria da República, pedindo que sejam aplicadas penalidades previstas em termo de ajustamento de conduta e continuidade da ação civil pública em consequência ao descumprimento pela Autopista Litoral Sul.

“A preocupação é com as intersecções do Contorno com as BRs 101 (Trombeta) e 282, além da passagem no Alto Aririú e os túneis 2 e 3. Não esquecendo do Ponto de Parada e Descanso de Motoristas. São pontos críticos cruciais para que o cronograma seja possível de ser cumprido. Infelizmente o que se vê é um ambiente de total abandono nesses pontos”, desabafou Amin.

Além de ser a mais importante obra rodoviária do Brasil, na sala de visitas do Estado que se diz mais bolsonarista do Brasil, as notícias de que a Arteris, que também administra a rodovia Régis Bittencourt em São Paulo, foi colocada à venda deixou a turma ainda mais inquieta. Até o Pitanta, vereador Nirdo Artur Luz, que completa seu 11º mandato na Câmara de Palhoça.

Cardápio nacional

Senador e candidato à reeleição pela Frente Democrática, Dário Berger (PSB), presidente estadual do PSB, ex-deputado federal Cláudio Vignatti, e pré-candidato a deputado estadual pelo PSB enfermeiro Gelson Albuquerque jantaram na quinta com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin. Na véspera da convenção que o tornou candidato a vice de Lula. Santa Catarina, com o gesto de Berger de atender pedido de Lula e abrir mão da candidatura a governador para Décio Lima (PT), passou a ter valor de sobremesa na aliança. Agora repare na coincidência: Gelson está em Santa Catarina desde 1992, quando se tornou professor da Ufsc, mas é gaúcho, militou no movimento estudantil e é irmão de Beto Albuquerque. A dupla está no PSB desde antes da tragédia com Eduardo Campos. O PT desejava com todas as forças que Beto Albuquerque retirasse sua pré-candidatura ao governo do Rio Grande do Sul em favor de Edegar Pretto. Beto viajou à Brasília dizendo que não retiraria, mas no final das contas, mesmo muito contrariado, teria repetido o gesto de Berger.

Fiscalização Crea-SC

Crea-SC deflagrou esta semana a primeira etapa da fiscalização de impacto da regional Sul. Com foco na área de agronomia e construção civil, a ação abrange as inspetorias de Tubarão, Criciúma e Araranguá. Na primeira semana, 13 agentes fiscais deram conta de aproximadamente 450 visitas concentradas em Tubarão. “O objetivo da ação é ser orientativa, esclarecendo sobre a correta interpretação da legislação e também sobre os procedimentos de regularização”, informa o gerente de Fiscalização, engenheiro ambiental Ingo Eugênio Dal Pont Werncke. Segundo ele, nas próximas semanas serão fiscalizados os demais municípios nas inspetorias de Criciúma e Araranguá.

Fecomércio

Enquanto se prepara para dar posse à nova diretoria, em 9 de agosto, a Fecomércio SC tratou esta semana de estratégias para o turismo no Congresso Nacional e cenário da legalização dos jogos e cassinos no Brasil. Foi a primeira reunião presencial da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio desde o início da pandemia. Presidente e vice eleito para a gestão 2022/2026, Hélio Dagnoni atua no associativismo empresarial há mais de três décadas em Balneário Camboriú e na atual gestão é vice-presidente de Turismo.

Com os tucanos

A conta do PP é que Esperidião Amin teria um patrimônio de largada de aproximadamente 1 milhão de votos. Pela sua história e entusiasmo. “Não temos de pedir desculpas por erros de corrupção ou má-fé”, garante. Se tiver nova chance, pretende priorizar os jovens e a meritocracia. “Tive oportunidades, fui o prefeito mais jovem do Brasil, aos 28 anos, deputado federal aos 32. Então, para cada maduro no governo, terá um jovem ao lado”, afirmou. A conta do PSDB é que Esperidião é o candidato original de Bolsonaro em Santa Catarina. O PSDB mudou a história de Amin na eleição de 2002, ao preferir Luiz Henrique.

Polo de desenvolvimento

Com um recorte de 20 anos, estudo de seis pesquisadores da Univille aponta que a ArcelorMittal Vega ajudou a consolidar o polo siderúrgico no Norte de SC. A unidade de transformação de aços planos entrou em operação em 2003, em São Francisco do Sul, alimentando ampla cadeia de fornecedores, valorizando mão de obra local, gerando renda, arrecadação e desenvolvimento. “Com base nos dados e conclusões do estudo, poderemos dar andamento à nossa trajetória, ampliar nossas interações e contribuições, principalmente para a comunidade local”, aponta Sandro Sambaqui, gerente geral da indústria.

Fonte: Clicsc