keyboard_backspace

Página Inicial

Saúde

Município catarinense é obrigado a oferecer serviço de saúde 24h

Ministério Público constatou que a população de Ponte Alta está sem acesso aos atendimentos de urgência e emergência determinados por lei. Município tem no máximo quinze dias para se adequar. O não cumprimento da ordem judicial pode acarretar em multa diária

X
Foto: Vinicius SM

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) obteve medida liminar em ação civil pública para determinar que o Município de Ponte Alta volte a oferecer os serviços de pronto atendimento de saúde 24 horas por dia, sete dias por semana, conforme determina a legislação vigente.

A Promotoria de Justiça de Correia Pinto ingressou com a ação para que a população tenha acesso aos serviços de urgência e emergência de forma integral, eficiente, segura e contínua. Tais serviços foram interrompidos no dia 31 de dezembro de 2021, quando o contrato entre o Município e a Fundação Médico Social Rural, que até então prestava o atendimento, terminou e não foi renovado.

Desde então, o município só oferece serviços ambulatoriais em duas unidades básicas de saúde, apenas até as 19 horas. Os pacientes que precisam de atendimento após esse horário são obrigados a se deslocar até cidades vizinhas, como Correia Pinto, que fica a 13,2 km de distância, ou Lages, situado a 44,8 km de distância, deixando o Município apenas contato telefônico de servidor àquele cidadão que precise de transporte.

¿Como se vê, o irregular funcionamento dos serviços acaba por refletir em toda a região e na prestação de outros serviços públicos. Isso porque os cidadãos são obrigados a deslocar-se para outro nosocômio, de regra, o Hospital Faustino Riscarolli, em Correia Pinto, já deveras sobrecarregado¿, considera a Promotoria de Justiça.

Diante do impasse apresentando, a Promotoria de Justiça buscou desde o início do ano uma composição extrajudicial a fim de garantir o adequado atendimento à população local, mas não houve êxito, o que levou ao ajuizamento da ação com o pedido liminar, deferido pelo Juízo da Vara Única da Comarca de Correia Pinto.

Agora a Prefeitura terá que voltar a disponibilizar os atendimentos de urgência e emergência, por meio da rede pública ou contratando serviços privados, respeitando as exigências legais, técnicas e sanitárias. A Justiça deu até quinze dias para o cumprimento da ordem judicial, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00.

Fonte: Clicsc

Saúde

Terceiro transplante de coração de 2022 em Santa Catarina é realizado

O trabalho foi coordenado pela SC Transplantes, órgão do Governo do Estado que completa 23 anos de criação em 2022

Saúde

Capacitação sobre HIV/AIDS é realizada pela Secretaria Municipal da Saúde de Itajaí

Evento teve como objetivo sensibilizar profissionais de saúde sobre o diagnóstico precoce do vírus e novas formas de prevenção

Saúde

Itapema: Idosos com 60 anos ou mais já podem tomar a 2ª dose de reforço

As vacinas utilizadas podem ser das fabricantes Pfizer, Janssen ou Astrazeneca, conforme disponibilidade

Saúde

Idosos com 60 anos ou mais podem tomar a segunda dose de reforço contra a Covid-19

A segunda dose de reforço deve ser aplicada com um intervalo de quatro meses após a primeira dose de reforço

Saúde

Hepatite aguda: Sala de situação é criada pelo Ministério da Saúde para monitorar doença

Ministério da Saúde cria sala de situação para monitorar hepatite aguda em crianças

Mais notícias

Geral

Medidas de valorização do serviço público são anunciadas pela prefeitura de São José

Prefeitura anunciou durante esse mês de maio uma série de ganhos para a categoria

Geral

Mais 784 veículos da BMW chegam no Porto de Itajaí

O navio transportou, ao todo, 784 veículos das marcas BMW e MINI, importadas pelo BMW Group Brasil