keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Novas interdições em cultivos de moluscos de Santa Catarina são anunciadas

Nesta quinta-feira, 22, a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural anuncia a interdição das localidades de Perequê, Ilha João da Cunha e Araçá, no município de Porto Belo; Fazenda da […]

Nesta quinta-feira, 22, a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural anuncia a interdição das localidades de Perequê, Ilha João da Cunha e Araçá, no município de Porto Belo; Fazenda da Armação, em Governador Celso Ramos; Praia do Pontal e Praia do Cedro, em Palhoça. Nessas áreas está proibida a retirada e comercialização de ostras e mexilhões e seus produtos, inclusive nos costões e beira de praia.

A interdição é necessária quando é detectada uma concentração de ficotoxina Ácido Okadaico acima dos limites permitidos nos cultivos de moluscos bivalves. Quando consumida por seres humanos, essa substância pode ocasionar náuseas, dores abdominais, vômitos e diarreia.

A Cidasc intensificou as coletas para monitoramento das áreas de produção de moluscos interditadas e arredores. Os resultados dessas análises definirão a liberação ou a manutenção da interdição. Os locais de produção interditados serão liberados após dois resultados consecutivos demonstrando que os moluscos estão aptos para o consumo.

Liberação parcial

Ainda permanecem parcialmente interditadas as áreas de Sambaqui, Cacupé, Barro Vermelho, Costeira do Ribeirão, Freguesia do Ribeirão e Santo Antônio de Lisboa, no município de Florianópolis. Nessas localidades está autorizada a retirada e comercialização apenas de ostras.

As ostras foram liberadas a partir de dois resultados negativos consecutivos para presença de toxina diarréica. O gerente de Pesca e Aquicultura da Secretaria da Agricultura, Sérgio Winckler, explica que ostras e mexilhões se comportam de formas diferentes diante da concentrações de algas tóxicas, por isso, a desinterdição é parcial. “Existem diferenças nos sistemas de filtração dos moluscos. A ostra concentra menos toxinas, por isso, foi possível a sua liberação antes dos mexilhões”.

Ainda permanece proibida a retirada e comercialização de mexilhões e seus produtos, inclusive nos costões e beira de praia dessas áreas.

Monitoramento constante

Santa Catarina é o único estado do país que realiza o monitoramento permanente das áreas de cultivo. O Programa Estadual de Controle Higiênico Sanitário de Moluscos é um dos procedimentos de gestão e controle sanitário da cadeia produtiva, permitindo maior segurança para os produtores e consumidores.

Geral

Defesa Civil alerta para ventos de até 70km/h no Litoral de Santa Catarina

A previsão aponta para a possibilidade de ventos moderados e persistentes de quadrante nordeste no Litoral Catarinense

Geral

Vídeo: Acidente entre moto e caminhão bloqueia a BR-101 em Balneário Camboriú

O motociclista foi resgatado pelo helicóptero Arcanjo. Não há informações detalhadas sobre o estado de saúde da vítima

Geral

Caso Emerson: Corpo do empresário foi encontrado com corda no pescoço

O empresário Emerson dos Santos, de 29 anos, encontrado morto dentro de uma vala próxima à BR-470, no bairro Baú Baixo em Ilhota, nesta terça-feira (24), estava com uma corda amarrada no pescoço. Em avançado […]

Geral

Mulher ganha bebê na sala de casa em Indaial

Uma mulher de 36 anos deu à luz um menino na sala de casa em Indaial na noite desta segunda-feira (23). Segundo informações dos bombeiros, o parto ocorreu no bairro Estrada das Areias. Com isso, […]

Geral

Vídeo: Risco de estiagem faz com que Casan use sonda de perfurar petróleo para buscar água na Serra Catarinense

A Casan contratou empresas especializadas com tecnologia semelhante a extração de petróleo, que montou uma plataforma e uma sonda

Mais notícias