keyboard_backspace

Página Inicial

Política

O poder de Ciro Nogueira no governo Bolsonaro

Leia na Coluna Esplanada de hoje direto de Brasília (27)

X

Eminência parda

Presidente de um dos partidos com mais votos no Congresso Nacional e boas bancadas em Assembleias Estaduais, o senador Ciro Nogueira (Progressistas-PI) tornou-se o homem mais poderoso do Governo sem ter cargo. A eminência parda do presidente Jair Bolsonaro transita com desenvoltura no Legislativo, passa por portas palacianas sem agendas e virou alvo de demandas diversas suprapartidárias. Emplacou um ministro no Supremo Tribunal Federal – ele é o principal padrinho da indicação de Nunes Marques, e comemorou abertamente no Twitter – e pode conquistar a presidência da Câmara dos Deputados na figura de Arthur Lira, deputado de seu partido que apadrinha. É do Progressistas uma das futuras vagas na iminente minirreforma ministerial.

Na moita

Ciro articula levar para a legenda um nome de vitrine para indicar de vice na chapa presidencial da tentativa de reeleição de Bolsonaro, cujas tratativas já começaram.

Ser com discrição

O senador ativou o modo ‘ser sem ser visto’ e ganhou a confiança do presidente da República. Mas é especulação qualquer menção a ele como eventual vice na chapa, por ser alvo da Operação Lava Jato como um dos ilustres da Lista de Janot, o ex- PGR.

Nos gabinetes

A rádio Esplanada, tocada apenas entre portas de gabinetes políticos, indica que o governador Ibaneis Rocha, do DF, pode se filiar ao Progressistas.

Pé de guerra

A corrida pelas presidências da Câmara e do Senado rachou de vez o DEM. O presidente da Câmara (DEM-RJ), Rodrigo Maia (RJ), e o presidente nacional do partido, ACM Neto (BA), estão em pé de guerra por causa dos deputados que contrariam a orientação da bancada e declaram voto em Arthur Lira (PP-AL). 

Véspera

Maia esperava mais engajamento do presidente do DEM na campanha de Baleia Rossi (MDB-SP). Sem a intervenção de ACM, a maioria dos democratas ameaça, às vésperas da eleição, derrotar Maia e fechar com o bloco de Arthur Lira.

Fissura

Outra fissura no DEM envolve Rodrigo Maia e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (AP). Os dois não se falam desde que o STF barrou a possibilidade de reeleição no Congresso. Recente, Alcolumbre ignorou o ofício de Maia com pedido para  convocação da Comissão Representativa do Congresso Nacional.

Rival

Estagnada, a candidatura da senadora Simone Tebet (MDB-MS) à presidência do Senado perde apoio até dentro da bancada emedebista. Pelo menos quatro – dos 15 senadores – já falam em votar no rival Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Privatizações

Para acalmar o mercado e evitar novas baixas, a equipe econômica tem posicionado a investidores que a agenda de privatizações tende a avançar no Congresso com a eleição de aliados do Planalto para os comandos da Câmara e do Senado. Wilson Ferreira deixou a presidência da Eletrobras por conta das dificuldades de desestatização da empresa.

Dever de casa

Antes de decidir o partido ao qual irá se filiar após as eleições do Congresso, o presidente Jair Bolsonaro quer saber, com detalhes, como está a atual situação em cada Estado das siglas que o convidaram. O PTB já fez o dever de casa e entregou ao presidente um “dossiê” sobre atuação e alianças do partido até em municípios.  

Segunda onda

Medidas de distanciamento menos rígidas podem agravar a segunda onda de Covid-19. É o que aponta estudo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea): “Entre os meses de abril e dezembro de 2020, o grau de rigor das medidas de distanciamento diminuiu de 6,3 para 2,9 (-54%) – em uma escala de 0 a 10. No mesmo período, o número médio de novos óbitos aumentou de 1,0 para 3,1 por 1 milhão de habitantes”.

Fura-fila 

O senador Plínio Valério (PSDB-AM) propõe alterar o Código Penal para tipificar como crime a “burla à ordem de vacinação”. Pela proposta do tucano, quem furou fila pode pegar prisão de três meses a um ano, mais multa. Se o agente for autoridade ou servidor púbico, a pena pode chegar a um ano e meio.

Painel

O painel artístico feito por artistas para o projeto beneficente do Instituto da Primeira Infância (Iprede) foi retirado do Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza. À Coluna, a Fraport Brasil, que administra o terminal, diz que “o quadro foi retirado em função das obras”e depois será reinstalado.

Política

Cinco ex-ministros bolivianos pedem refúgio político no Brasil

Leia na Coluna Esplanada de hoje direto de Brasília

Política

Moisés exonera 82 nomes do governo Daniela

Mudanças importantes no Governo do Estado de Santa Catarina

Política

“A verdade foi restabelecida. Santa Catarina retorna aos trilhos”, afirma governador Carlos Moisés de volta ao cargo

O governador Carlos Moisés afirmou que a decisão do Tribunal Misto de Impeachment, proclamada nesta sexta-feira, 7, restabeleceu a verdade e reparou um erro, já que não havia justa causa legal. Agora, o momento é […]

Política

Moisés reassume SC e anuncia retorno do secretariado

Moisés foi notificado da decisão do Tribunal Especial de Julgamento do Impeachment já na tarde desta sexta (7)

Mais notícias

economia

Abate de bovinos cai 10,3% no primeiro trimestre do ano

Quanto aos suínos, foram abatidos no primeiro trimestre de 2021 12,53 milhões de cabeças, acumulando peso de carcaças de 1,15 milhão de toneladas.

Geral

Santa Catarina tem mais de 4 mil vagas abertas pelo Sine

As ocupações regulares com mais vagas abertas são: auxiliar de linha de produção; costureira em geral; carpinteiro; operador de processo de produção e servente de pedreiro.