keyboard_backspace

Página Inicial

Sem categoria

Pequenas e médias indústrias catarinenses têm acesso facilitado a equipamentos para energia solar

Programa capitaneado pelas marcas Fiesc, Engie e WEG tem o apoio do Sistema Cecred para financiamento do sistema fotovoltaico. Popularização da energia sustentável é objetivo dos envolvidos

Uma ação inédita em Santa Catarina desponta como maior iniciativa em prol do uso da energia solar no Brasil. E agora vai impactar também negócios do estado. Na sexta-feira (23), os envolvidos no Programa Indústria Solar assinaram o início da segunda fase, em que pequenas e médias empresas poderão ter acesso aos equipamentos de maneira facilitada. 

A ação é uma iniciativa da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) e das empresas Engie e WEG. São apoiadores a Celesc, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e o Sistema Cecred, composto por 13 cooperativas de crédito do Sul do país. 

O objetivo da ação é que mais de 50 mil indústrias de Santa Catarina se envolvam com o Programa. De acordo com os fabricantes, o valor economizado na conta de energia elétrica se equaliza com o do financiamento do equipamento e, com a quitação do sistema, a economia passa a ser direta. 

Rodrigo Imthurn, diretor de operações da Cecred, reitera que, o apoio da instituição é uma maneira de contribuir para o desenvolvimento destes pequenos e médios negócios. “Além de ser um grande diferencial atuar com energia solar, a redução do custo também tem um grande impacto. Esse montante poderá ser investido em melhorias que oportunizem o crescimento destas empresas, que poderão seguir gerando empregos e movimentação econômica nas suas comunidades”, diz. 

Como parceiro do programa, o Sistema Cecred desenvolveu soluções financeiras específicas para quem aderir. As cooperativas de crédito já atuam com taxas abaixo da média das instituições tradicionais e, para esta ação, facilitaram ainda mais as condições. 

Imthurn comenta que esse envolvimento com o Programa Energia Solar se deve ao alinhamento com os valores do Sistema Cecred. “Pequenos e médios negócios causam um impacto muito grande na comunidade em que estão inseridos. Buscamos dialogar constantemente com os empreendedores e pensar em soluções que oportunizem crescimento para as suas empresas. Acreditamos que dar acesso a equipamentos que geram energia solar seja uma delas”, finaliza. 

Primeira fase teve mais de 1.250 inscritos em três meses

O pontapé inicial do Programa Energia Solar aconteceu em novembro de 2017. Nesta primeira etapa, a oferta dos sistemas fotovoltaicos em condições especiais chegou aos 40 mil colaboradores das empresas envolvidas. De lá pra cá, mais de 1.250 pessoas se inscreveram para ter acesso aos equipamentos. O número superou as expectativas dos organizadores e agora a perspectiva é de que a procura das empresas também seja grande. 

Mais notícias

Brasil

Veja como se inscrever no Cadastro Único para receber o Auxílio Brasil

Na semana passada o governo anunciou que pretende substituir o programa Bolsa Família pelo Auxílio Brasil, que promete pagar até R$ 400 a famílias em situação de pobreza e extrema pobreza. Segundo anúncio do Ministro […]