keyboard_backspace

Página Inicial

economia

Poderá faltar combustível em dezembro; Petrobras diz que não atenderá toda demanda

Segundo a companhia, pedidos de diesel encaminhados pelas distribuidoras para o mês de dezembro foram atípicos e superiores

X

A Petrobras não atenderá novamente 100% dos pedidos de distribuidoras por combustíveis em dezembro, em meio à manutenção de um cenário de demanda atípica vista também em novembro, disse a companhia em nota à Reuters após ser consultada. A companhia, que opera atualmente seu parque de refino com fator de utilização de aproximadamente 87%, disse ainda que há atualmente dezenas de empresas cadastradas na reguladora do setor ANP aptas para importação de combustíveis e que possuem condições de atender essa demanda adicional.

“Assim como no mês de novembro, os pedidos de diesel encaminhados pelas distribuidoras para o mês de dezembro foram atípicos e superiores ao mercado esperado para este período”, disse a empresa. “Após avaliação de disponibilidade, considerando nossa capacidade de produção e oferta, o volume aceito foi inferior aos pedidos recebidos.”

O cenário ocorre enquanto importadoras e distribuidoras de combustíveis têm apontado defasagem nos preços de diesel e gasolina praticados pela Petrobras no mercado interno em relação ao exterior. Isso torna o valor do combustível da estatal mais baixo que o importado, gerando uma escalada de pedidos.

A Petrobras – responsável por quase 100% da capacidade de produção de derivados do petróleo no Brasil – vem sendo pressionada por diversos segmentos no país para segurar os valores internos, e reduziu ao longo do ano a periodicidade de reajustes, em busca de evitar volatilidades. No entanto, o Brasil não é capaz de suprir a demanda crescente do mercado apenas com produção doméstica e, por isso, depende cada vez mais de importações.

Nesta semana, o diretor-executivo de Finanças, Compras e RI da Vibra (ex-BR), André Natal, afirmou em teleconferência com analistas que é natural que nesse cenário as companhias busquem conseguir todo o suprimento possível com a Petrobras, completando o restante com importações. Natal disse ainda que a Vibra, que conta já com ampla capilaridade e estrutura logística, não tem tido dificuldade para repassar maiores custos com importações à venda de seus produtos e que dessa forma tem se mostrado inclusive mais competitiva que outros players menores independentes e de bandeira branca.

No mês passado, quando a Petrobras disse que não atenderia 100% da demanda, a Associação das Distribuidoras de Combustíveis Brasilcom – que representa mais de 40 distribuidoras regionais – apontou para um risco de desabastecimento, em meio a dificuldades das empresas conseguirem o suprimento. Mas à época, a ANP negou que havia indicação de desabastecimento e informou que estava monitorando.

A Petrobras reiterou no e-mail à Reuters nesta sexta-feira que os volumes disponibilizados por ela para cada cliente seguiram a regulação vigente definida pela ANP e foram aplicados ao diesel e à gasolina, e que “o atendimento do mercado segue normal, sem notícias de desabastecimento”.

Procurada na véspera, a Brasilcom confirmou em nota que distribuidoras tiveram cortes em seus pedidos.

“Sabemos que diversas empresas tiveram cortes em seus pedidos, tanto de gasolina como de diesel, mas principalmente, diesel, sendo alguns cortes bastante significativos”, disse o diretor de Relações Institucionais da associação, Sérgio Massillon, sem dar mais detalhes sobre o cenário atual.

economia

Vendas da Black Friday tiveram crescimento discreto em SC

Diferente de 2020, as lojas físicas tiveram uma representatividade maior que as lojas online, na proporção de 60% e 40%, respectivamente

economia

Porto de São Francisco revitaliza estrutura ferroviária interna à espera da safra recorde de soja

A próxima safra de soja no Brasil, que começa no início de 2022, promete ser a maior da história. O Porto de São Francisco do Sul já se antecipou e concluiu as obras de melhoramentos […]

economia

Almah, empresa catarinense do setor de condomínios, atinge R$ 1 bilhão em contratos e anuncia novo sócio

Fintech tem revolucionado o mercado condominial por aumentar, em média, 50% a produtividade das administradoras

economia

PIB de Santa Catarina tem aumento de 3,8% em 2019 e alcança R$ 323,26 bilhões

O crescimento e a variação em volume ficaram ligeiramente acima das estimativas realizadas pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), de 3,5% e R$ 318,2 bilhões

economia

Brasileiro paga 40% a mais no preço da gasolina em outubro, aponta Ticket Log

Com média de R$ 5,449 o preço do etanol também não recuou em outubro, e continua 19% mais caro em relação a abril, último mês de baixa

Mais notícias

Geral

Defesa Civil assina termo de compromisso para liberar recursos para novas pontes em São Bento do Sul e Peritiba

O ato contou com a presença do prefeito Antônio Tomazini e do deputado estadual Vicente Caropreso. O valor é de R$ 118.640,60