keyboard_backspace

Página Inicial

Segurança

Polícia investiga fraude em comprovantes de vacinação em Canelinha

A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Polícia de Canelinha, cumpriu dois mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça na tarde de sexta-feira (12), em Canelinha. A ação apura suspeitas […]

X
Divulgação

A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Polícia de Canelinha, cumpriu dois mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça na tarde de sexta-feira (12), em Canelinha.

A ação apura suspeitas de que pessoas estariam fraudando um modelo de comprovante da vacinação da Covid-19, expedido pela Secretaria de Saúde do Município de Canelinha para cometer fraudes. O grupo investigado envolveria adolescentes e adultos com o objetivo de possibilitar o acesso de pessoas não vacinadas em eventos da região.

Foram apreendidos no quarto de uma adolescente diversos cartões de vacinação falsos que aguardavam preenchimento e outros com dados inseridos, materiais que estão sendo apurados.

As investigações prosseguem e aguardam o resultado de laudos periciais. Estão sendo apurados os crimes de falsificação de documento público e uso de documento falso.

Fonte: Clicsc

Segurança

Homem incendeia a própria casa para se livrar de infestação de cobras

Bombeiros acreditam que o fogo começou no porão e se alastrou pelo resto da casa

Segurança

‘Serial Killer’ que matava gays em SC e PR é condenado a 30 anos de prisão

José Soroka marcava encontros pelo Grindr e estrangulava os rapazes

Segurança

Vídeo: Jovem mandou áudio para mãe antes de cavar a própria cova na praia e ser morta a tiros em SC

Homem investigado pela morte disse ao delegado que ela já estava na praia quando enviou o áudio

Segurança

Porto Belo: Bandidos rendem homem e fogem levando malote de dinheiro de posto de combustível

Criminosos fingiam que calibravam o pneu da moto e abordaram a vítima

Mais notícias

Segurança

Homem incendeia a própria casa para se livrar de infestação de cobras

Bombeiros acreditam que o fogo começou no porão e se alastrou pelo resto da casa

Segurança

‘Serial Killer’ que matava gays em SC e PR é condenado a 30 anos de prisão

José Soroka marcava encontros pelo Grindr e estrangulava os rapazes