keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Projeto do Píer Turístico de Itapema aguarda aprovação da Marinha, SPU e Instituto do Meio Ambiente

Após a emissão das licenças dos órgãos, a expectativa é que o píer seja construído entre 18 a 24 meses

X
Siga-nos no google-news

Uma das obras mais aguardadas em Itapema é o Píer Turístico que será construído na Foz do Rio Perequê. Há algumas semanas, o projeto foi protocolado na Marinha, Secretária de Patrimônio da União e no Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA).

Pela Marinha, o projeto tramita para que seja obtido o documento (Nada a Opor), o qual analisa as questões de navegabilidade, segurança e sinalização. Já na SPU, a expectativa é para ser emitido o direito do uso da (Lamina d’Água), já que a água é um patrimônio da união. E o IMA, analisa o projeto na questão ambiental. Caso aprovado, será emitido primeiramente a LAP (Licença Ambiental Prévia) e depois a LAI (Licença Ambiental de Instalação). Só após esses documentos dos três órgãos que então começará definitivamente a obra. A expectativa da empresa RGS, que ganhou a concessão em outubro de 2021 para construção, operação e gestão, é que ainda nesse ano os trabalhos iniciem no local.

“Todos os processos estão tramitando e estamos aguardando ansiosos por um retorno. Temos uma grande expectativa ao longo dos próximos meses para que possamos executar as etapas iniciais desse projeto”, antecipa o Supervisor de Obras em Santa Catarina da RGS, Felipe Lago.

Porém, o que muitos moradores têm questionado é quanto a demora para iniciar as obras. Mas, para se ter um projeto bem executado é necessário ter informações técnicas precisas e isso demanda tempo. Nos últimos meses vária ações ocorreram em relação ao píer. Foram realizados levantamento de informações para seguir os trâmites burocráticos exigidos pelos órgãos estaduais e federais.

No entanto, alguns desafios também foram registrados nos últimos meses pela equipe à frente do projeto. Uma das situações envolvia a proximidade que ficou o píer e o molhe. Como o molhe, que será construído em Porto Belo, terá uma curva, isso deixou as pedras muito perto da estrutura do píer e ambos se entrelaçavam. Por isso, os técnicos e projetistas rotacionaram o píer e aumentaram o canal de passagem. Outro desafio também foi reajustar o projeto após o anúncio do projeto do alargamento da faixa de areia da Meia Praia.

Nesse período os estudos também aconteciam diariamente. Para obter dados, foi instalado a 200 metros da costa uma Boia ADCPs (nome técnico para Perfilador de Correntes Acústico por Efeito Doppler). O equipamento permaneceu na Bacia de Itapema durante 30 dias e emitiu ondas sonoras, calculou dados e coletou informações como a altura da onda, temperatura e força da água. E todos esses levantamentos, que precisam ser coletados tanto no inverno quanto verão, foram fundamentais para ajudar a dimensionar o píer.

E com os dados técnicos nas mãos, a empresa inseriu as informações em um software holandês, que mostrou todos os cenários do píer e o molhe. Assim, foi escolhido o melhor deles, o qual apresentava a menor interferência ambiental possível para agregar no projeto e a partir disso ser encaminhado aos órgãos competentes.

O píer turístico tem projeto para agregar sustentabilidade e dar destaque ao meio ambiente. O local deve ter reutilização da água, lacas fotovoltaicas e deve ainda servir como uma área pública reforçando a questão turística. Quanto ao local popularmente chamado ‘Santinha’, bastante querido por moradores e turistas, Felipe antecipa detalhes da proposta de revitalização do espaço. A ideia é dar ainda mais destaque ao espaço. Entretanto, detalhes não foram repassados para não atrapalhar o andamento das documentações. O que se sabe é que em conjunto com o píer, será construído o molhe. Essa segunda obra é de responsabilidade da prefeitura de Porto Belo que já fez um edital para contratação de uma empresa que ficará responsável pela execução. E assim que o píer começar o molhe também iniciará as obras. Já que a finalidade tanto de uma obra quanto da outra é estabilizar a foz do Rio Perequê.  

“Temos uma boa comunicação com a prefeitura de Itapema o que ajuda muito no desenvolvimento desse projeto. A expectativa é que o píer seja construído em 18 a 24 meses, então após as licenças começamos a fundação e depois damos sequência ao projeto”, finaliza.

Fonte: Clicsc

Geral

Santa Catarina vive “rescaldo” do ciclone extratropical

Santa Catarina vive o “rescaldo” do ciclone extratropical que adentrou no estado na tarde desta terça-feira (9), deixando 83 desalojados e 281 desabrigados, segundo números atualizados da Defesa Civil do estado. O clima, no entanto, […]

Geral

Em pousada de Santa Catarina, agosto é o Mês do Cachorro Solto

Agosto tem fama de ser o mês do cachorro louco – por isso, é uma época em que ocorrem campanhas de conscientização contra a raiva canina. Mas na Pousada Pedras Rollantes, que fica em Alfredo […]

Geral

Clube flutuante destruído pelo ciclone em BC faz vaquinha para arrecadar R$300 mil

A meta da vaquinha é arrecadara R$300 mil e até às 10h desta quinta-feira (11) já havia arrecadado R$15.550,00

Geral

Defesa Civil de Itajaí está em estado de atenção e auxilia a comunidade

Órgão atendeu mais de 100 ocorrências, mas até o momento não há registro de alagamentos, deslizamentos e desabrigados

Geral

Santa Catarina segue com mais de 40 mil residências sem energia elétrica

Às 9h desta quinta-feira (11), 42.619 unidades consumidoras continuavam sem energia, segundo informação das Centrais Elétricas de Santa Catarina, a Celesc

Mais notícias

Turismo

Roteiro de viagem em São José: o que fazer?

Quer fazer um roteiro de viagem em São José? Iremos te mostrar os lugares que você não pode deixar de visitar na sua estadia!