keyboard_backspace

Página Inicial

Geral

Recém-nascido morre após ser espancado pela própria mãe em Santa Catarina

Após ficar em estado grave, com hemorragia interna abdominal e apresentar lesões no crânio, um recém-nascido, não resistiu aos ferimentos provocados por agressões da própria mãe, e morreu na última sexta-feira (23). O fato foi […]

X

Após ficar em estado grave, com hemorragia interna abdominal e apresentar lesões no crânio, um recém-nascido, não resistiu aos ferimentos provocados por agressões da própria mãe, e morreu na última sexta-feira (23). O fato foi registrado em Indaial, no Vale do Itajaí. A mãe foi presa em flagrante e já está no presídio do município a disposição da Justiça. A Polícia Militar foi acionada através da equipe de Assistência Social da cidade.

O bebê chegou a ser encaminhado pelos bombeiros acompanhado da avó para o Hospital Beatriz Ramos. Com visível aparência de agressão, as equipes acionaram as autoridades. De acordo com os pediatras, em função dos ferimentos graves, a criança precisou ser transferida de imediato para o Hospital Santo Antônio, em Blumenau. A guarnição policial foi até o bairro Rio Morto e localizou a mãe do bebê, que havia retornado para casa. Questionada sobre o ocorrido, a mulher negou ter cometido qualquer tipo de agressão

No entanto, segundo o delegado da Polícia Civil responsável pelo caso, Marcos Okuma, relatos médicos indicaram maus tratos. “Fomos até o hospital e conversamos com o médico. Pelos relatos dele, entendi que há indícios de que as lesões internas foram causadas por fortes sacudidas por parte da mãe”, explicou o delegado ao ND+.

A avó, segundo a polícia, foi testemunha do fato. Ela e a mãe do bebê foram encaminhadas à Delegacia de Indaial. A morte do bebê foi confirmada às 19h desta sexta pelo Hospital Santo Antônio. Ainda, conforme reportagem do ND+,  o delegado também disse que a guarda da criança era da avó. No entanto, a mãe morava na mesma casa.

“A guarda era a avó porque a mãe, já no início da gravidez, havia rejeitado a criança. Logo que nasceu, inclusive, ela foi embora do hospital sem o bebê”, afirma Okuma. O bebê ficou provisoriamente em uma casa até a decisão judicial, que definiu que a guarda ficaria com a avó. Dessa forma, ele passou a morar na mesma casa que a mãe egundo a polícia, não há indícios de que a avó tem culpa no episódio. “[A avó] não teve nenhuma culpa, ela socorreu a criança e, pelos relatos apurados, há indícios de que foi a mãe que sacudiu a criança”, diz o delegado.

No primeiro momento, antes da morte da criança, a mãe foi autuada em flagrante delito por tentativa de homicídio. Após a confirmação da morte pelo hospital, foi enviado um complemento. “Acredito que em uma análise mais fria é possível alterar para homicídio qualificado, mas fica a critério do promotor e do poder judiciário”, esclarece o delegado Okuma.“Se considerado homicídio simples, a pena ficaria de seis a 20 anos. Homicídio qualificado, que acredito que possa ser enquadrado, já partiria de 12 a 30 anos. Eles também podem entender uma causa de aumento de pena, ela pode subir mais um terço. Porém, tudo depende do promotor e do juiz”, ressalta.

Fonte: Clicsc

Geral

Rede Feminina de Combate ao Câncer de Itapema pode ter isenção de IPTU por 10 anos

Atuando em Itapema há cerca de 20 anos, a instituição é reconhecida pelo acolhimento, apoio às pacientes e pela agilidade no resultado dos exames ofertados

Geral

Fevereiro termina com chuva volumosa no Litoral e Vale do Itajaí

Essa condição está associada a circulação marítima (ventos que trazem umidade do mar para o litoral)

Geral

Ministro do STF manda juiz analisar recurso de Lula contra provas da Odebrecht

Recurso questiona validade de provas obtidas pela empresa

Geral

Defesa Civil de Porto Belo atende em novo endereço

O Governo do Município de Porto Belo através da Secretaria de Segurança Pública e Defesa do Cidadão informa que o departamento de Defesa Civil agora atende em novo endereço. A Defesa Civil está atendendo na […]

Geral

Filhote de cachorro nasce com 6 patas nos Estados Unidos

Os estudos apontam que provavelmente o cachorro tem a deficiência pois era uma parte de um gêmeo no útero "mas quando o óvulo fertilizado tentou se partir, não se separou totalmente".

Mais notícias

coronavirus

Itajaí suspende aulas e limita atendimentos no comércio até as 22h

Restrições têm objetivo de frear avanço da pandemia e reduzir o contágio

Segurança

Motociclista fica gravemente ferido após acidente em Itapema

Segundo testemunhas, o motociclista estava em alta velocidade quando teria colidido com a CG, na lateral do veículo, na rua 432