keyboard_backspace

Página Inicial

Política

Registro da candidatura à reeleição do Prefeito de Anita Garibaldi é indeferido

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, por unanimidade, julgou procedente impugnação oferecida pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) e indeferiu o pedido do registro de candidatura de João Cidinei da Silva para reeleição ao cargo […]

X

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, por unanimidade, julgou procedente impugnação oferecida pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) e indeferiu o pedido do registro de candidatura de João Cidinei da Silva para reeleição ao cargo de Prefeito de Anita Garibaldi por considerá-lo inelegível.

A decisão ocorreu em sessão virtual ao julgar, na terça-feira (20), o recurso apresentado pelo Promotor Eleitoral Guilherme Luiz Dutra, do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), contra decisão do Juízo da 52ª Zona Eleitoral, que havia deferido o requerimento de registro de candidatura do atual Prefeito de Anita Garibaldi apesar da rejeição das contas do Município relativas ao ano de 2018.

No recurso, assim como na impugnação, o Promotor Eleitoral relatou que Tribunal de Contas do Estado (TCE) aprovou, em decisão colegiada, parecer pela rejeição das contas municipais relativas ao exercício de 2018 apresentadas pelo Prefeito João Cidinei da Silva. Após o trânsito em julgado da decisão, o TCE notificou a Câmara de Vereadores de Anita Garibaldi que, por quórum qualificado mais de 2/3 dos Vereadores, rejeitou as contas municipais.

Sustentou o Ministério Público Eleitoral que a rejeição das contas se deu por irregularidade insanável que configurou ato doloso de improbidade administrativa e por decisão irrecorrível do órgão competente, o que implica na incidência da causa de inelegibilidade prevista pelo art. 1º, I, ¿g¿, da Lei Complementar n. 64/1990.

O juiz relator do recurso, Desembargador Fernando Carioni, deu razão ao Promotor Eleitoral e, por sete votos a zero, o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral julgou procedente o pedido do Ministério Público, indeferindo a candidatura do atual Prefeito de Anita Garibaldi à reeleição. A decisão é passível de recurso. (Processo n. 0600127-51.2020.6.24.0052)

O Ministério Público Eleitoral

O Ministério Público Eleitoral não possui estrutura própria, mas uma composição mista: membros do Ministério Público Federal (MPF) e do Ministério Público estadual.

Nas eleições estaduais e federais, o Promotor de Justiça fiscaliza, mas o processo é iniciado pelo representante do Ministério Público Federal que atua perante a Justiça Eleitoral e que é o Procurador-Regional Eleitoral.

Já nas eleições municipais, como é o caso do pleito de 2020, a atuação do Promotor é direta, fiscalizando e apresentando as denúncias à Justiça Eleitoral quando ocorrer um crime eleitoral.

Os Promotores Eleitorais catarinenses são membros do MPSC, indicados pelo Procurador-Geral de Justiça, que exercem as funções por delegação do Ministério Público Federal.

Política

Cinco ex-ministros bolivianos pedem refúgio político no Brasil

Leia na Coluna Esplanada de hoje direto de Brasília

Política

Moisés exonera 82 nomes do governo Daniela

Mudanças importantes no Governo do Estado de Santa Catarina

Política

“A verdade foi restabelecida. Santa Catarina retorna aos trilhos”, afirma governador Carlos Moisés de volta ao cargo

O governador Carlos Moisés afirmou que a decisão do Tribunal Misto de Impeachment, proclamada nesta sexta-feira, 7, restabeleceu a verdade e reparou um erro, já que não havia justa causa legal. Agora, o momento é […]

Política

Moisés reassume SC e anuncia retorno do secretariado

Moisés foi notificado da decisão do Tribunal Especial de Julgamento do Impeachment já na tarde desta sexta (7)

Mais notícias

Geral

Cidasc alerta para o risco do consumo de leite cru

Inúmeros patógenos podem ser veiculados pelo leite sem pasteurização e acometer a saúde do consumidor, como Brucelose, Tuberculose, Salmonelose, infecção por Escherichia coli, Listeriose, entre tantas outras.

Segurança

Polícia investiga assassinatos causados por possível Serial Killer em Curitiba

Por conta das semelhanças entres os assassinatos, a Polícia Civil trabalha com a hipótese de crime de ódio cometido pela mesma pessoa