keyboard_backspace

Página Inicial

Economia

Onda de calor na Índia poderá deixar o pão e macarrão mais caros em SC

Valor do produto no mercado internacional deve aumentar, depois que o país bloqueou as exportações

X
Foto: Pixabay/Divulgação

Com termômetros registrando 50°C na Índia, que vive uma das suas piores ondas de calor dos últimos anos, o país, que é o segundo maior produtor de trigo do mundo, decidiu bloquear as exportações do produto para controlar os preços no mercado interno.

Apesar do Brasil não ser importador do trigo da Índia, o valor do produto no mercado internacional deve aumentar, depois que o país bloqueou as exportações no último sábado (14), já que a produção interna foi afetada com a seca. O efeito desse aumento atinge também Santa Catarina. 

A alta no preço do trigo já havia sido registrada em todo o mundo por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia, explica o economista da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Pablo Bittencourt.

Nos últimos meses, o preço do trigo subiu muito no mercado internacional, por causa da guerra entre Rússia e Ucrânia, que são dois dos maiores produtores mundiais. E aí a produção brasileira foi direcionada às exportações. A gente exportou mais trigo no primeiro trimestre de 2022, do que em todo o ano de 2021 — explica.

— Imagina o impacto disso no segundo maior produtor mundial, que é a Índia. Vai cair a oferta mundial de trigo, deve haver escassez, e isso vai aumentar mais o preço. Com isso, produtos à base de trigo, como as massas e pães serão diretamente afetados. Além disso, segundo o economista, a carne bovina também pode ter impacto, já que o produto é usado para alimentação do gado.

Mercado de trigo em SC e no Brasil

O Brasil produz cerca de 6 milhões de toneladas por ano, mas consome mais de 12 milhões de toneladas ao ano. Santa Catarina, neste ano, deve produzir cerca de 350 mil toneladas, destaca o vice-presidente da Faesc, Enori Barbieri. Ou seja, o país depende muito das importações.

O produto é importado principalmente da Argentina, já que o custo de transporte é menor, e, em menor quantidade de países como Paraguai, Uruguai e Estados Unidos.

Com isso, os preços aplicados no mercado internacional impactam diretamente aqui, o que pode fazer a inflação disparar ainda mais nos próximos meses. Para o economista Pablo Bittencourt, o preço do trigo deve continuar alto, por causa da guerra entre Rússia e Ucrânia. O caso da Índia é mais um agravante.

Fonte: NSC

Economia

Tarifa do gás natural para a indústria aumenta 41% em julho

Para a FIESC, elevação da tarifa é consequência da não concretização do mercado livre de gás, já previsto em lei, mas ainda não regulamentado; impacto é negativo para a competitividade da indústria catarinense, com aumento de custo de produção

Economia

Safra de pitaia em SC é 75% superior a 2021

Segundo o engenheiro-agrônomo Ricardo Martins, extensionista rural da Epagri em Maracajá, grande parte do aumento de produção se deve à transformação dos pomares jovens em adultos e não ao aumento da área plantada

Economia

Banco Central eleva expectativa de crescimento do PIB para 2022

Projeção subiu de 1% para 1,7%; segundo semestre será de desaceleração econômica

Economia

SC bate novo recorde no comércio exterior em maio

Os embarques do estado superaram a marca de US$ 1 bilhão, o que representa o maior valor na série histórica para o mês

Economia

Diesel passa dos R$7 em cidades catarinenses

O maior preço praticado do combustível foi registrado no Auto Posto Leal, no bairro Universitário, em Biguaçu

Mais notícias

Segurança

Polícia Militar de Santa Catarina recebe 140 novas viaturas

Os veículos SUV, modelo Chevrolet Tracker, serão distribuídos a 91 municípios catarinenses

Tempo

Tornado de mais de 100km/h atinge cidade catarinense

Segundo informações, os prejuízos atingem R$10 milhões. Ao menos 50 edificações em áreas rurais foram destruídas com os ventos