keyboard_backspace

Página Inicial

Segurança

Polícia Civil atua em operação conjunta no combate à pirataria em SC

No Dia Nacional de Combate à Pirataria, celebrado nesta quinta-feira, 03, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), por meio do Conselho Estadual de Combate à Pirataria (Cecop), participou da Operação Etiqueta Segura […]

X

No Dia Nacional de Combate à Pirataria, celebrado nesta quinta-feira, 03, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), por meio do Conselho Estadual de Combate à Pirataria (Cecop), participou da Operação Etiqueta Segura II para combater crimes contra o direito autoral e sonegação fiscal. A ação em lojas de shopping centers da Grande Florianópolis foi deflagrada em conjunto com a Polícia Civil do Estado de Santa Catarina e Secretaria de Estado da Fazenda.

Na iniciativa, foram apreendidos um total de 1.405 peças de roupas com indícios de falsificação, avaliados em cerca de R$ 168 mil. Documentos fiscais dos estabelecimentos vistoriados também foram confiscados pelos auditores da Fazenda Estadual por haver fortes indícios de sonegação fiscal. O resultado da análise da documentação apreendida será encaminhado à Polícia Civil para instruir o inquérito policial.

“Esta ação é de extrema importância, pois visa salvaguardar os direitos dos consumidores, regular as práticas do livre comércio e ajudar na arrecadação de tributos, uma vez que várias irregularidades fiscais foram constatadas de plano”, afirma o delegado de polícia Pedro Mendes, da Delegacia de Investigação aos Crimes contra a Fazenda Pública (DFAZ) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC).

De acordo com o presidente do Cecop, Jair Schmitt, solucionar esse grave problema da pirataria é o principal objetivo do Conselho. “É preciso que todos recordem que sonegar, produzir e vender produtos piratas não é um mero ato irregular. É praticar crimes previstos na legislação e negar a tantos brasileiros a chance de exercer a cidadania, com empregos, saúde e educação garantidos”, frisa.

Em 2019, o mercado ilegal gerou 291,4 bilhões de prejuízo para o Brasil. Só no vestuário, o impacto foi de R$ 58,4 bilhões. “O comércio ilegal traz inúmeros prejuízos ao país que vão desde a sonegação fiscal até o crime organizado. As operações de combate à pirataria auxiliam a manter a concorrência leal e diminuem os danos ao consumidor catarinense”, pontua o secretário da Fazenda, Paulo Eli.

Além de aumentar a fiscalização em todo o Estado, por meio de diversas parcerias, o Governo de Santa Catarina atua em iniciativas para conscientização dos consumidores.

Segurança

Incêndio é registrado em residência de Porto Belo

Um incêndio foi registrado na manhã deste sábado (16), em uma residência de Porto Belo.  Segundo o Corpo de Bombeiros, o fato ocorreu por volta das 8h12. O inquilino da kitnet relatou que saiu e deixou […]

Segurança

Carro é apreendido na BR-282 por circular com a placa de uma motocicleta

Policiais rodoviários federais flagraram na tarde de ontem (quinta 14) um carro com placas adulteradas na BR 282 em Joaçaba/SC. O GM/Monza registrado em Catanduvas/SC circulava com placas cujo os caracteres eram iguais à de […]

Segurança

Menina aborda policiais e denuncia que era vítima de estupro em Santa Catarina

A Polícia Civil prendeu, em flagrante, um homem de 64 anos suspeito de estupro. A vítima seria a própria filha, de 14 anos. A ação aconteceu nesta terça-feira (12), na cidade de Angelina, enquanto a […]

Mais notícias