keyboard_backspace

Página Inicial

Sem categoria

Polícia esclarece assassinato de empresário gaúcho em Balneário

Corpo de Márcio Rodrigo dos Santos foi encontrado carbonizado no porta-malas de um carro incendiado nas margens da Interpraias,

A Polícia Civil de Balneário Camboriú prendeu dois homens suspeitos de participação na morte de Márcio Rodrigo dos Santos, encontrado carbonizado no porta-malas de um carro no dia 13 de setembro, em uma estrada de chão às margens da avenida Interpraias, em Balneário Camboriú. Após investigação conduzida pela DIC (Divisão de Investigação Criminal) do município, a cargo do delegado Vicente de Assis Soares, M.A.P.D. e G.R.S. foram presos temporariamente.

De acordo com o delegado, as investigações continuam para a identificação de outros envolvidos no crime. Os dois suspeitos estão presos no Presídio da Canhanduba, em Itajaí. M.A.P.D foi preso por uma equipe da DIC-BC, com o apoio de policiais da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, na manhã do dia 16 de outubro, em sua casa, na cidade de Torres (RS). Porém, para não atrapalhar as investigações, sua prisão ainda não havia sido divulgada.

Já G.R.S foi preso na tarde da última terça-feira (20) em sua casa na cidade de Passo de Torres (SC).

A investigação 

O crime foi descoberto na madrugada de 13 de setembro último, quando um Audi A/4 foi encontrado em chamas numa estrada de chão às margens da Interpraias. O corpo, posteriormente identificado como sendo de Márcio Rodrigo dos Santos, estava carbonizado no interior do porta-malas.

A partir da placa parcialmente queimada foi possível identificar que o veículo pertencia a Márcio, natural de Sapiranga (RS), e que há alguns meses residia em Balneário Camboriú. Segundo familiares, Marcio teria saído de casa por volta das 22h para uma reunião de negócios e não teria mais retornado.

Com o reconhecimento do veículo utilizado pelos suspeitos, após investigação da Guarda Municipal de Balneário Camboriú, foi possível identificar a participação de M.A.P.D e G.R.S como dois dos suspeitos de participarem do crime.

A Polícia Civil apurou que a vítima foi atraída a um encontro sob o pretexto de que seria apresentado a alguns investidores interessados em seus negócios. Foi quando, M.A.P.D. e G.R.S o mataram de forma ainda não revelada. Posteriormente, com o intuito de dificultar a identificação da vítima, incendiaram seu veículo com o corpo dentro do porta-malas.

Mais notícias