keyboard_backspace

Página Inicial

Brasil

Scooter elétrica precisará de licenciamento e placa, define Contran

Essa é a determinação de uma resolução aprovada pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito) que será publicada nos próximos dias

Imagem mostra Scooter X
Foto: Freephoto
Siga-nos no google-news

Scooters elétricas e ciclomotores movidos a combustão com até 50 cm³ de cilindrada e velocidade máxima de 50 km/h precisarão ser registrados e emplacados a partir do dia 1º de julho. Essa é a determinação de uma resolução aprovada pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito) na última quinta-feira (15) e que será publicada nos próximos dias.

A medida tem como objetivo organizar a fiscalização em todo o país e busca trazer mais segurança ao tráfego desses veículos. A resolução leva em consideração as características de cada tipo de veículo, como potência do motor, velocidade máxima de fabricação, equipamentos obrigatórios, registro e emplacamento.

Para conduzir esses veículos, os pilotos deverão possuir a habilitação ACC (Autorização para Conduzir Ciclomotor) ou a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) na categoria A. O objetivo é trazer mais organização ao mercado e garantir segurança jurídica tanto para os cidadãos quanto para as autoridades de fiscalização.

Além disso, a resolução também atualiza a classificação de ciclomotores, bicicletas elétricas e equipamentos de mobilidade individual autopropelidos, como patinetes e skates. No caso das bicicletas elétricas, não é necessário o emplacamento, mas elas devem ser equipadas com indicador de velocidade, campainha, sinalização noturna e espelhos retrovisores.

A medida acompanha o aumento expressivo desses veículos em circulação nas cidades e busca estabelecer regras claras para o tráfego, facilitando o registro e o licenciamento nos órgãos de trânsito locais. Para os veículos que já estão em circulação e não possuem o registro adequado, será concedido um prazo para regularização até o dia 31 de dezembro.

Essa resolução passou por uma consulta pública e recebeu contribuições da sociedade, sendo que a área técnica da Secretaria Nacional de Trânsito acatou 238 das 470 sugestões enviadas. Com essa medida, espera-se uma maior regulamentação e segurança para os usuários desses veículos de mobilidade pessoal.

A falta de regularização desses veículos vinha dificultando sua liberação de pátios após apreensões e impossibilitando seu uso nas ruas. Com as novas regras, espera-se que haja maior controle e responsabilidade no trânsito desses veículos, garantindo a segurança de todos os envolvidos.

Fonte: Clicsc

Sobre o autor:
Brunela
Brunela Maria
Brunela Maria é jornalista desde 2011 e formada pelo Centro Universitário IESB, em Brasília. Trabalhou no Notícias do Dia, em Florianópolis e na Record TV Brasília. Atua como repórter no portal ClicSC.
Brasil, Economia

Empresas Icon, de Criciúma, marcam presença na Expo Revestir com lançamentos para o setor cerâmico mundial

Feira ocorre entre os dias 14 e 17 de março no São Paulo Expo, na capital paulista; grupo empresarial possui unidades também em Tubarão (SC) e outras espalhadas pelo Brasil e até na Argentina

Brasil

Cerca de 40% da água potável captada em mananciais é desperdiçada no Brasil

Água própria para consumo humano não chega até as casas da população

Brasil

Mega-Sena acumulada deve pagar R$ 115 milhões nesta quarta-feira

As apostas na Mega-Sena podem ser feitas até as 19h do dia do sorteio

Brasil

Homem filma momento de sua morte ao cair de Tirolesa no Ceará

O homem ainda chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos

Brasil

Locais de prova do ENEM 2022 já podem ser consultados

Inep divulgou os locais nesta segunda-feira

Mais notícias

Geral

Multinacional sul-coreana é anunciada como patrocinadora master do O Negócio da Moda (ONDM) em Balneário Camboriú

Hyosung Creora participará pela primeira vez do evento que será realizado nos dias 22, 23 e 24 de outubro, no Expocentro, em Balneário Camboriú (SC); edição recente ocorrida em Goiânia movimentou cerca de 5 mil pessoas 

Segurança

Falta de mão de obra na construção civil preocupa mercado imobiliário

Projeções indicam que o Brasil pode enfrentar um apagão de profissionais em uma década